INCONTRI
Encuentros - Rencontres - Encontros
Teatro e Cinema come percorso di relazione fra i giovani

Un progetto di inclusione sociale e interculturalità
coordinato dal TEATRO DUE MONDI

TEATRO DUE MONDICASA DEL TEATRO - Comune di Faenza - Provincia di Ravenna - Regione Emilia Romagna
Palacio Rio Negro (Brasile) - Teatro de los Andes (Bolivia) - Teatro de Ferro (Portogallo) - Melkior Théâtre (Francia)

             

•INCONTRI in Brasile •INCONTRI in Italia •INCONTRI in Bolivia •INCONTRI in Francia •INCONTRI in Germania

  • o projeto
  • oficina teatro
  • oficina cinema
  • diário foto
  • vídeo
  • material publicitário
  • imprensa
  • blog

•download Report finale del Progetto PDF

 

Irá iniciar em PORTO um laboratório de Teatro e Cinema que, em paralelo com outras etapas de trabalho na Bolívia, Brasil e Itália, levarão alguns jovens participantes à Faenza, na Itália, para construírem vídeos e espetáculos, resultantes dos encontros de tantas culturas e histórias.
Trabalharemos a partir dos artigos da Declaração Universal dos Direitos do Homem e das reflexões propostas pelos participantes, das histórias pessoais e das necessidades individuais para encontrar no grupo a nova casa onde se possa viver livre.
Quais são os meus direitos de cidadão do mundo, e quando e como estes direitos me são negados?
Esta é uma proposta para quem não conhece o teatro, para quem talvez tenha medo: eliminaremos as diferenças lingüísticas e culturais porque encontrar-se através do corpo, da voz, da música e o jogo é verdadeiramente fácil.
Pretendemos revelar através do cinema aquilo que se encontra oculto na cidade, nas relações entre as pessoas, aquilo que é velado, embora bastante comum e cotidiano. O que se esconde nas diferentes e desiguais condições de vida, de cidadania e dos direitos que deveriam ser iguais para todos.
Enfim, proporcionar encontros de verdade entre pessoas distintas através do cinema e do teatro.

a liberdade é uma casa

este projeto de Teatro e Cinema é aberto
aos jovens que querem conhecer outros jovens
aos jovens que querem, através de um trabalho coletivo,
comunicar pensamentos e idéias
aos jovens que acreditam que seja possível derrubar as barreiras sociais
aos jovens que querem narrar sobre os seus direitos negados
aos jovens que não tenham vontade de se sentirem estrangeiros, diferentes,
sem serem ouvidos, mudos
à todos aqueles que querem falar uma língua universal
aos jovens que não tenham medo do confronto
e não tenham medo de arriscar
à todos aqueles que querem ser livres para serem
este projeto não é fechado a ninguém

Teatro de Ferro - Porto
de 25 de maio a 2 de junho de 2013 - das 14h30 às 20 horas

Alberto Grilli
diretor do Teatro Due Mondi
Alberto Grilli é co-fundador e diretor do Teatro Due Mondi. Desde 1979 se ocupa de todas as realizações do grupo, que em mais de 30 anos de atividade se apresentou no palco e nas ruas de mais de 30 países, inventando um teatro que une a magia do artesanato cênico na concretude da contemporaneidade, reapresentada através de Garcia Marquez, Bertold Brecht, George Orwell e Alfred Jarry, das fábulas infantis e do cancioneiro popular. Sempre realizou laboratórios, cursos e seminários especializados, formando numerosos jovens, educadores e profissionais do setor cultural, na Europa e na América do Sul, tanto no universo da escola como em outros contextos (comunidades e centros sociais).
Nos anos mais recentes se empenhou na condução de laboratórios destinados a “não atores”, pessoas interessadas a elaborar, através da linguagem teatral, momentos de reflexão e informação sobre temas importantes da atualidade social: os direitos à cidadania, os direitos das minorias e o direito ao trabalho.
Em conjunto com seus companheiros de grupo pratica um teatro político e visionário que coloca no centro do trabalho o ator e o espectador, fundado sobre uma autodidática permanente e ao ensino da autonomia, do rigor e da resistência.
Busca trabalhar diretamente com as pessoas, sejam alunos de oficinas ou publico culturalmente heterogêneo, instituições públicas e sem fins lucrativos, demonstrando a sua capacidade em lidar com contextos sociais problemáticos, em trabalhar com grupos de pessoas de diversos extratos sócio-culturais e diferentes origens étnicas, assumindo uma posição na qual a comunicação com o outro e uma abordagem de inclusão adquire um papel chave na orientação do grupo.

 

a liberdade é uma casa

este projeto de Teatro e Cinema é aberto
aos jovens que querem conhecer outros jovens
aos jovens que querem, através de um trabalho coletivo,
comunicar pensamentos e idéias
aos jovens que acreditam que seja possível derrubar as barreiras sociais
aos jovens que querem narrar sobre os seus direitos negados
aos jovens que não tenham vontade de se sentirem estrangeiros, diferentes,
sem serem ouvidos, mudos
à todos aqueles que querem falar uma língua universal
aos jovens que não tenham medo do confronto
e não tenham medo de arriscar
à todos aqueles que querem ser livres para serem
este projeto não é fechado a ninguém

Teatro de Ferro - Porto
de 25 de maio a 2 de junho de 2013 - das 14h30 às 20 horas

Flávio Kactuz
pesquisador e professor de cinema (PUC-rio)
doutorando em estudos fílmicos (Univ Coimbra)

Flávio Kactuz é historiador, professor e pesquisador de Cinema e Teatro. Iniciou-se profissionalmente como ator de teatro em 1982, atuando em espetáculos dirigidos por Aderbal Freire-Filho, Alcione Araújo e João das Neves. Participou das oficinas de Eugenio Barba (Odin Teatret), Pino di Buduo (Teatro Potlach) e Mario Barzaghi. Entre 1987 e 1988 estagiou no Teatro Potlach em Fara Sabina, Itália. Entre 1989 e 1995 dirigiu o grupo teatral Oikoveva. Em 1995 viajou para a Ásia onde permaneceu por 4 meses na ilha de Bali, na Indonésia, estudando o Teatro e o Canto Clássico Balinês. Os estudos de Topeng o levaram a Paris para um curso com I Made Djimat e Cristina Wistari na ARTA (Association de Recherche des Traditions de l'Acteur)
Sua trajetória em Cinema teve inicio em 2001 quando criou e dirigiu o CATAC (Centro de Antropologia do Teatro e Antropofagia do Cinema) na cidade de Rio Branco, na região norte amazônica brasileira, onde permaneceu por 5 anos organizando várias mostras de Cinema com retrospectivas de Glauber Rocha, Ana Carolina e Nelson Pereira dos Santos, criando vídeos e espetáculos e organizando o livro ‘Daqui onde estou dá pra ver o Brasil’. Retornou ao Rio de Janeiro em 2006 para inaugurar a sala de Cinema do Museu Imperial de Petrópolis e cursar o Mestrado de Comunicação Social da PUC-Rio. Atualmente esta cursando o doutorado em Estudos Fílmicos da Universidade de Coimbra e participa como professor e pesquisador de um grupo de pós-graduação da PUC-Rio dando aulas de história e prática de cinema para moradores de favelas na cidade do Rio de Janeiro.

 

25 maggio

ENCONTROS a PORTO

•album fotografico

 

 
 

26 maggio

ENCONTROS a PORTO

•album fotografico

 
 

27 maggio

ENCONTROS a PORTO

•album fotografico

 
 

28 maggio

ENCONTROS a PORTO

•album fotografico

 
 

ENCONTROS a PORTO

•album fotografico

 
 

29 maggio

ENCONTROS a PORTO

•album fotografico

   

30 maggio

ENCONTROS a PORTO

•album fotografico

 
 

31 maggio

ENCONTROS a PORTO La prima azione teatrale. Stazione Trindade. Teatro e Cinema si scambiano riflessioni e esperienze.

•album fotografico

 
 

1 giugno

ENCONTROS a PORTO La seconda azione teatrale. Praça dos Poveiros. Il grupop del Cinema è osservatore critico attraverso gli occhi della camera

•album fotografico

 

 

ENCONTROS a PORTO diario di bordo alla parete

•album fotografico

   

2 giugno

ENCONTROS a PORTO Ultimo appuntamento: Cinema al Teatro de Ferro, Teatro in largo de Aljubarrota a Gaia, dall'altra parte del fiume Rio Douro

•album fotografico

 

 

 

25 maggio 2013
 
 
 
26 maggio
 
 
 
interviste 1
 
 
 
27 maggio
 
 
 
28 maggio
   
 
29 maggio
 
 
 
30 maggio
 
 
 

31 maggio

   

 

 

1 giugno
   
 
2 giugno
video prodotti dal laboratorio cinema  
 
Sei que sou Helena
 
As ilhas do porto
   
   
   

 

 

 
 

 

     
INCONTRI è un progetto finanziato con il sostegno della Commissione europea.
Il Teatro Due Mondi è il solo responsabile di questa comunicazione e la Commissione declina ogni responsabilità sull’uso che potrà essere fatto delle informazioni in essa contenute.